...

03/04/2014

LIÇÃO 01 – E DEU DONS AOS HOMENS - 2º TRIMESTRE 2014 (Rm 12.3-8; I Co 12.4-7)

INTRODUÇÃO

Iniciaremos este segundo trimestre de 2014 estudando uma riquíssima lição que tem como título: Dons Espirituais e Ministeriais: servindo a Deus e aos homens com poder extraordinário. Nesta primeira lição definiremos a palavra dom à luz do AT e do NT; destacaremos ainda que foi por meio de Cristo que estas habilidades espirituais foram concedidas aos homens; e, por fim, elencaremos os diversos tipos de dons que Deus distribuiu para a Igreja.

I – DEFINIÇÃO DA PALAVRA “DOM”

Segundo o Aurélio o termo dom significa: “donativo, dádiva, presente” (FERREIRA, 2004, p. 699). O dom espiritual é uma dotação ou concessão especial e sobrenatural pelo Espírito Santo, de capacidade divina sobre o crente, para serviço especial na execução dos propósitos divinos para e através da Igreja (GILBERTO, 2006, p. 195). Vejamos os termos usados no AT e no NT:

Antigo Testamento. O termo mathan” dá a entender algo que é dado gratuitamente, e é usado cinco vezes (Gn 34.12; Nm 18.11; Pv 18.11; 19.6; 21.14); “nisset”, “dom”, “coisa elevada” usada apenas uma vez (II Sm 19.42); “maseth”, “dom, peso, elevação” (Et 2.18; Jr 40.5); “shochad”, “suborno, recompensa” (Êx 23.8; Dt 16.19; II Cr 19.7; Pv 6.35; 17.8,23; Is 1.23; Ez 22.12); “minchah”, “oferta, presente” (Gn 32.13,18,20,21; 33.10; Jz 3.15,17,18; I Sm 10.27; II Sm 8.2,6; I Re 4.21; II Re 8.8,9; I Cr 18.2,6; II Cr 9.24; 26.8; Sl 45.12; 72.10. Is 39.1; Os 10.6).

Novo Testamento. A palavra “dídomi” significa: “dar” (Mt 4.9; 5.31; Mc 2.26; Lc 1.32; Jo 1.12; Rm 4.26; I Co 1.4; Ef 1.17; Hb 2.13; Tg 1.5; I Jo 3.23,24; Ap 1.1; 2.7,10,17; 8.2; 9.1); “anáthama”, “algo devotado a Deus” (Lc 21.5; At 23.14; Rm 9.3; I Co 12.3; 16.22; Gl 1.8,9); “doma”, “presente” (Mt 7.11; Lc 11.13; Ef 4.8; Fl 4.17); “dósis”, “dom” (Fp 4.15; Tg 1.17); “dorea” (Jo 4.10; At 2.38; 8.20; 10.45; Rm 5.15,17; II Co 9.15; Ef 3.7; 4.7; Hb 6.4); “dorema”, “dom” (Rm 5.16; Tg 1.17); “merismós”, “dom”, embora esta palavra derive-se da ideia de dividir (Hb 2.4; 4.12); “cháris”, palavra que significa “graça”, mas que pode ter a ideia de “dom gratuito” (II Co 8.4); “charisma”, usada para indicar os dons do Espírito, as suas graças, gratuitamente conferidas para a obra (I Co 12.4,9,28,30,31).

II – DONS ESPIRITUAIS E MINISTERIAIS PARA A IGREJA

Por isso diz: Subindo ao alto, levou cativo o cativeiro, E deu dons aos homens” (Ef 4.8). Paulo cita aqui o Salmo 68.18. O pano de fundo histórico real desse Salmo, provavelmente alude a um dos diversos triunfos de Davi sobre seus inimigos, ocasião em que esse grande rei levou cativos para Jerusalém e repartiu os despojos com o povo. A interpretação original sem dúvida alguma se referia a despojos de guerra, e Paulo usa isso como figura dando-lhe um alto sentido espiritual, onde a ascensão de Cristo envolveu a doação de dons, o que equivale às bençãos espirituais em Ef 1.3.

A provisão de Cristo quanto aos dons. Após consumar a obra salvífica no Calvário, Jesus ressuscitou ao terceiro dia levando consigo os santos do AT que estavam no seio de Abraão para o Paraíso (Lc 23.43; I Pe 3.19). Logo, Cristo “levou cativo o cativeiro” e por conseguinte repartiu os tesouros conquistados por Ele com a sua morte “deu dons aos homens” (Ef 4.8-b). Segundo Paulo, estes tesouros dizem respeito aos dons dados a Igreja (Ef 4.11).

A posição de Cristo como aquele que dá dons. Em Ef 4.10 a Escritura nos diz: “Aquele que desceu é também o mesmo que subiu acima de todos os céus, para cumprir todas as coisas”. Jesus Cristo primeiro desceu as partes mais baixas da terra e em seguida foi assunto aos céus e assentou-se a direita do Pai (Sl 110.1; Mc 12.35-37; Mc 16.19; Hb 1.3; 8.1). Foi justamente nessa posição de honra que Cristo como sumo sacerdote intercedeu por sua Igreja, a fim de que os dons do Espírito Santo fosse concedido. Dez dias após a ascensão do Senhor, o Espírito fôra derramado sobre a Igreja, concedendo-lhe habilidades espirituais conforme prometido (Lc 24.49; At 1.8; 2.1-4).
O propósito de Cristo quanto aos dons. O apóstolo Paulo nos ensina em Ef 4.12 com que objetivo Cristo concedeu dons a igreja “Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo”.
A expressão “aperfeiçoamento” no grego “katartismos”, era usado para indicar a correção de ossos partidos, a restauração de algo ao seu estado primitivo. A raiz dessa palavra é “artios” que significa “completo, perfeito, totalmente adaptado”. Já a expressão “edificar” por sua vez, no grego oikodome denota: “o ato de construir” (forma de oikos, “casa”, e demõ “construir”). É usado só figuradamente no NT, no sentido de edificação, a promoção de crescimento espiritual” (Rm 14.19; 15.2; I Co 14.3,5,12,16).

III – OS DONS DE MANIFESTAÇÃO DO ESPÍRITO
Em I Coríntios 12, os Dons Espirituais podem ser classificados da seguinte forma:




IV – DONS NA ÁREA DO MINISTÉRIO
Em Efésios 4.11 os Dons Ministeriais são:




V – DONS DE MINISTÉRIO PRÁTICO
Em Romanos 12.6-8 os Dons relacionados ao serviço são:



CONCLUSÃO
Como podemos ver, os dons são de grande relevância tanto na edificação do corpo de Cristo, como no desenvolvimento do serviço cristão. A igreja que menospreza-os deixa de gozar da mais maravilhosa ferramenta de trabalho proporcionada por Deus aos seus servos no desenvolvimento de seu reino.


REFERÊNCIAS
CHAMPLIN, R. N. Dicionário de Bíblia, Teologia e Filosofia. HAGNOS.
CHAMPLIN, Russell Norman, O Novo Testamento Interpretado versículo por versículo. HAGNOS.
STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.
ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger. Comentário Bíblico Pentecostal. CPAD.
GILBERTO, Antonio, et al. Teologia Sistemática. CPAD.

Nenhum comentário: