...

12/05/2012

LIÇÃO 07 – SARDES, A IGREJA MORTA


A CIDADE DE SARDES

O nome da cidade de Sardes vem da palavra hebraica “sarid” que significa “o que escapou” ou “o remanescente” Quando João escreveu esta carta, Sardes era uma cidade rica, mas totalmente degenerada. Sua glória estava no passado e seus habitantes entregavam-se aos encantos de uma vida de luxúria e prazer;

1.2 Geografia. Sardes foi a capital da Lídia no século VII a.C. e era uma das cidades mais magníficas do mundo nesse tempo.
Localizada a cerca de 24 Km de Esmirna e situada no alto de uma colina, ela era fortificada por uma grande muralha, seus soldados e habitantes se sentiam imbatíveis e pensavam que jamais cairiam nas mãos dos inimigos. Por ser uma cidade bem protegida contra invasões era denominada de “A inconquistável”, antiga capital da Lídia. A opulência e riqueza da cidade a levaram a decadência moral e luxúria.
Lídia era uma antiga região da Ásia Menor. Atribui-se aos lídios a invenção da moeda. Quando Ciro II da Pérsia conquistou a Lídia, apoderou-se de sua grande riqueza e nomeou Creso como seu conselheiro, depois de evitar que esse se suicidasse atirando-se em uma grande pira.

Mas, a cidade orgulhosa caiu nas mãos do rei Ciro da Pérsia em 529 a.C., quando este a cercou por 14 dias, e depois a invadiu com seu exército, quando os soldados de Sardes estavam dormindo. Um fato interessante é que, cerca de trezentos anos depois, por volta de 218 a.C., Antíoco Epifânio dominou a cidade da mesma forma. As duas invasões ocorreram por causa da autoconfiança e falta de vigilância dos seus habitantes;
Os reis de Pérgamo depois reconquistaram o poder até que os Romanos dominaram. Ao tempo de Tibério ela foi desolada por terremotos e pragas. Hoje é um montão de ruínas desabitadas.
Esta cidade era em determinada época uma cidade muito importante comercialmente. Plínio disse que a arte de tingir lã foi inventada ali. Ele era o centro onde se tingia tecidos de lã e tecia tapetes. Ela tinha uma considerável quantia de prata e ouro na área e diz-se que as moedas de ouro foram primeiramente cunhadas ali. Ela tinha também um mercado de escravos.

1.3 Religião. Como as demais cidades da Ásia Menor, Sardes estava completamente comprometida com a idolatria, pois, tinha como padroeira a deusa Cibele, que era creditada com o poder especial de restaurar vida aos mortos. As ruínas maciças do templo podem ainda serem vistas. No entanto, para a Igreja que estava espiritualmente morta naquela cidade, somente o Senhor Jesus, o que tem os sete Espíritos de Deus, poderia restaurá-la (Ap 1.4).
Duas coisas impressionaram-me fortemente quando observei esta adoração de Cibele. Uma foi o fato que ela usava uma chave como a de Janus que lhe dava a mesma autoridade de Janus, ( a chave dos céus e da terra e dos mistérios) e o fato que os adoradores se feriam a si mesmos até que o sangue jorrava de seus corpos, prática esta ainda hoje levada a efeito por católicos que sentem que estão sofrendo como o Senhor.
Cibele era a Astarote da qual Jezabel era a sacerdotisa e que levou Israel a tropeçar pelos ritos licenciosos que ela dirigia?
Sim, esta é quem ela é na Bíblia.


A IGREJA EM SARDES

E ao anjo da igreja que está em Sardes escreve:...

Não podemos afirmar, ao certo, quem era o anjo (pastor) da Igreja de Sardes. No entanto, podemos deduzir que ele conhecia muito bem os problemas daquela Igreja. Todas as cartas foram enviadas ao anjo da Igreja (Ap 2.1,8,12,18; 3.1,7,14,22) porque ele era a pessoa mais indicada, não apenas para transmitir o conteúdo da carta aos cristãos daquela localidade, como também corrigir os erros doutrinários e conduzir a Igreja a um genuíno avivamento;


Isto diz o que tem os sete Espíritos de Deus, e as sete estrelas...

Esta mesma frase é encontrada quatro vezes no Livro de Apocalípse.
Apocalípse 1: 4, "Dos sete espíritos que estão diante de seu trono."
Apocalípse 3:1, "Isto diz o que tem os Sete Espíritos de Deus."
Apocalípse 4:5, "E do trono saíam relâmpagos, e trovões, e vozes e diante do trono ardiam sete lâmpadas de fogo as quais são os sete Espíritos de Deus."
Apocalípse 5: 6, "E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete pontas e sete olhos, que são os sete Espíritos de Deus enviados a toda a terra."

A expressão “sete Espíritos” significa: a multiforme operação do Espírito Santo, como podemos ver em (Is 11.1,2): “E repousará sobre ele o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor”. Quanto as “sete estrelas” Jesus referiu-se aos anjos (pastores) das Igrejas, conforme (Ap 1.20);
Existe apenas um Espírito Santo (Ef 4.4): ”há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação”.


Eu sei as tuas obras...

Já vimos em lições anteriores que, em todas as cartas, Jesus diz: “Eu sei as tuas obras” ou “Eu conheço as tuas obras” (Ap 2.2,9,13,19; 3.1,8,15) o que significa dizer que Ele não está alheio ao serviço que prestamos em prol do Reino de Deus aqui na terra. No entanto, o Senhor Jesus não fez menção, nem elogiou as boas obras de Sardes, como em outras cartas, tais como: o trabalho e a paciência de Éfeso (Ap 2.2); a perseverança na fé da Igreja de Pérgamo (2.13); o amor, o serviço, a fé e a paciência dos crentes de Tiatira (Ap 2.19); pelo contrário, o Senhor Jesus diz: “Não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus” (Ap 3.2);

Obra (ergon), denota “trabalho, ação, ato” (Rm 15.18): ”Porque não ousaria dizer coisa alguma, que Cristo por mim não tenha feito, para obediência dos gentios, por palavra e por obras”; ocorre frequentemente em sentido ético acerca das ações humanas, boas ou ruins (Mt 23.3): “Observai, pois, e praticai tudo o que vos disserem; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não praticam”; (Mt 26.10): “Jesus, porém, conhecendo isso, disse-lhes: Por que afligis esta mulher? Pois praticou uma boa ação para comigo”; (Jo3.20): Porque todo aquele que faz o mal aborrece a luz e não vem para a luz para que as suas obras não sejam reprovadas. (1Ts 1.3):lembrando-nos, sem cessar, da obra da vossa fé, do trabalho da caridade e da paciência da esperança em nosso Senhor Jesus Cristo, diante de nosso Deus e Pai,” (2Ts 1.11):” Pelo que também rogamos sempre por vós, para que o nosso Deus vos faça dignos da sua vocação e cumpra todo desejo da sua bondade e a obra da fé com poder”; etc

As obras de Sardes foram reprovadas pelo Senhor, (Tg 3.16): Porque, onde há inveja e espírito faccioso, aí há perturbação e toda obra perversa”.


Tens nome de que vives e estás morto...

A Igreja de Sardes vivia apenas de aparência, pois, aos olhos dos habitantes da cidade, ela existia e estava presente: “tens nome de que vives”; mas, aos olhos daquEle que são como chamas de fogo, era uma Igreja morta, sem vida e sem vigor espiritual “mas, estás morta”. Escrevendo aos romanos, o apóstolo Paulo disse que o cristão deve considerar-se morto para o pecado e vivo para Deus (Rm 6.11 - 13):Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus, nosso Senhor. Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade; mas apresentai-vos a Deus, como vivos dentre mortos, e os vossos membros a Deus, como instrumentos de justiça”;  mas, em Sardes, estava havendo o inverso: muitos crentes estavam vivos para o pecado e mortos para Deus;

MORTE (THANATOS), é usado nas escrituras para descrever:
a)        A separação da alma, parte espiritual do homem, do corpo, parte material, o último cessar de funções e a volta ao pó.
Jo 11.11-14 - Assim falou e, depois, disse-lhes: Lázaro, o nosso amigo, dorme, mas vou despertá-lo do sono. Disseram, pois, os seus discípulos: Senhor, se dorme, estará salvo. Mas Jesus dizia isso da sua morte; eles, porém, cuidavam que falava do repouso do sono. Então, Jesus disse-lhes claramente: Lázaro está morto,

b)        A separação do homem de Deus. Adão morreu o dia em que desobedeceu a Deus:
Gn 2.17 - mas da árvore da ciência do bem e do mal, dela não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.
Por conseguinte, todo gênero humano nasce na mesma condição espiritual:
Rm 5.12 - Pelo que, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, por isso que todos pecaram. 14 No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés, até sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão, o qual é a figura daquele que havia de vir. 17 Porque, se, pela ofensa de um só, a morte reinou por esse, muito mais os que recebem a abundância da graça e do dom da justiça reinarão em vida por um só, Jesus Cristo. 21 para que, assim como o pecado reinou na morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo, nosso Senhor.

Sê vigilante...

(Gregoreõ), “vigiar” O termo significa “estar atento”, “estar vigilante”. É encontrado em 1Ts 5.6: Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos e sejamos sóbrio; 10: que morreu por nós, para que, quer vigiemos, quer durmamos, vivamos juntamente com ele. E em mais 21outros lugares nos quais ocorre no NT, ex: 1Pe 5.8: Sede sóbrios, vigiai, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar;
O significado aqui é a vigilância e a expectativa em contraste com a falta de firmeza e a indiferença. Todos os crentes viverão juntos com Cristo a partir do tempo do arrebatamento descrito em 1 Ts 4; todos temos vida espiritual agora, embora a condição espiritual e a consecução de cada um varie consideravelmente. Aqueles que são negligentes e falham em estar alertas, sofrerão perda.

Mt  24.36 – 44: Porém daquele Dia e hora ninguém sabe, nem os anjos dos céus, nem o Filho, mas unicamente meu Pai. E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do Homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do Homem. Então, estando dois no campo, será levado um, e deixado o outro; Estando duas moendo no moinho, será levada uma, e deixada outra. Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor. Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa. Por isso, estai vós apercebidos também, porque o Filho do Homem há de vir à hora em que não penseis.

Esta foi a primeira recomendação do Senhor Jesus àquela Igreja. A vigilância é uma atitude exigida a todo cristão mas, principalmente, para os crentes sinceros e fiéis que estavam vivendo entre os mortos. Em outras palavras, o Senhor Jesus estava dizendo: se não vigiares, poderás morrer também! Assim como a cidade fora invadida duas vezes por falta de vigilância, o mesmo poderia ocorrer com o remanescente fiel, caso eles não vigiassem;

1Pe 4.7: E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto, sede sóbrios e vigiai em oração.


Confirma o restante que estava para morrer...

Cristo ordena livrar “os que estão destinados à morte”. A expressão “confirma” não significa confirma sua morte, e sim, confirma sua fé. Isto nos ensina que a Igreja não estava morta por completo, pois sempre houve, e sempre haverá um remanescente fiel. É por esta razão que o Senhor Jesus diz: “Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram suas vestes, e comigo andarão de branco; porquanto são dignos disso”.
A expressão “algumas pessoas”, nos mostra que em uma igreja que estava morta espiritualmente, havia aqueles que não se contaminaram. O Senhor não abre mão de sua igreja para o mundo, Ele está interessado em preservar a vida daqueles que zelam pela sua palavra.
O Senhor está sempre ensinando, exortando, corrigindo sua igreja para encontra-la irrepreensível naquele Grande Dia. “E hora de confirmar os que ainda respiram”.

Dt 8.5: Confessa, pois, no teu coração que, como um homem castiga a seu filho, assim te castiga o Senhor, teu Deus.
2Sm 7.14: Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e, se vier a transgredir, castigá-lo-ei com vara de homens e com açoites de filhos de homens.
PV 3.11,12: Filho meu, não rejeites a correção do Senhor, nem te enojes da sua repreensão. Porque o Senhor repreende aquele a quem ama, assim como o pai, ao filho a quem quer bem.
Mt 24.13: Mas aquele que perseverar até ao fim será salvo.
1Co 11.31,32: Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados. Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo.
Hb 12.6: porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho.
Jd v.3,4: Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da comum salvação, tive por necessidade escrever-vos e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos. Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo.
Ap 3.11: Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.
Ap 22.7: Eis que presto venho. Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.


Não achei as tuas obras perfeitas diante de Deus...

Esta exortação do Mestre nos ensina que não basta ter obras, serviços prestados e trabalhar para o Senhor. É preciso que as obras sejam perfeitas. Mas, o que é uma obra perfeita?
É uma obra feita de todo coração (Cl 3.23):E, tudo quanto fizerdes, fazei-o de todo o coração, como ao Senhor e não aos homens”, com alegria (Sl 100.2):Servi ao Senhor com alegria e apresentai-vos a ele com canto”.  e para a glória de Deus (I Co 10.32):Portai-vos de modo que não deis escândalo nem aos judeus, nem aos gregos, nem à igreja de Deus” Na primeira epístola aos coríntios, o apóstolo Paulo enumera seis tipos de “obras”, a saber: madeira, feno, palha, prata, ouro e pedras preciosas (ICo 3.12). Somente as obras que permanecerem é que serão recompensadas (I Co 3.13-15): a obra de cada um se manifestará; na verdade, o Dia a declarará, porque pelo fogo será descoberta; e o fogo provará qual seja a obra de cada um. Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão. Se a obra de alguém se queimar, sofrerá detrimento; mas o tal será salvo, todavia como pelo fogo”.

Pelas obras seremos recompensados
Sl 62.12: A ti também, Senhor, pertence a misericórdia; pois retribuirás a cada um segundo a sua obra.
Pv 24.12: Se disseres: Eis que o não sabemos; porventura, aquele que pondera os corações não o considerará? E aquele que atenta para a tua alma não o saberá? Não pagará ele ao homem conforme a sua obra?
Jr 17.10: Eu, o Senhor, esquadrinho o coração, eu provo os pensamentos; e isso para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas ações.
Ez 18.30: Portanto, eu vos julgarei, a cada um conforme os seus caminhos, ó casa de Israel, diz o Senhor Jeová; vinde e convertei-vos de todas as vossas transgressões, e a iniquidade não vos servirá de tropeço.
Rm 2.5-8: Mas, segundo a tua dureza e teu coração impenitente, entesouras ira para ti no dia da ira e da manifestação do juízo de Deus, o qual recompensará cada um segundo as suas obras, a saber: a vida eterna aos que, com perseverança em fazer bem, procuram glória, e honra, e incorrupção; mas indignação e ira aos que são contenciosos e desobedientes à verdade e obedientes à iniquidade;
Mt 16.27: Porque o Filho do Homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos; e, então, dará a cada um segundo as suas obras.
Ap 22.12: E eis que cedo venho, e o meu galardão está comigo para dar a cada um segundo a sua obra.


Lembra-se, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o...

 A Igreja de Sardes não poderia queixar-se por não conhecer a doutrina. As palavras do Senhor Jesus são enfáticas: “Lembra-se, pois, do que tens recebido e ouvido” o que significa dizer que os cristãos já haviam recebido o genuíno Evangelho. A Bíblia nos exorta a lembrar das palavras que foram ditas pelos profetas (Jd 1.17):Mas vós, amados, lembrai-vos das palavras que vos foram preditas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo”, e das palavras do Senhor (Lc 24.6,8; Jo 15.20): “Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia”, “E lembraram-se das suas palavras”,” Lembrai-vos da palavra que vos disse: não é o servo maior do que o seu senhor. Se a mim me perseguiram, também vos perseguirão a vós; se guardarem a minha palavra, também guardarão a vossa”.  inclusive, uma das atribuições do Espírito Santo é lembrar as palavras do Senhor (Jo 14.26): “Mas aquele Consolador, o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito”.  Este lembrar implica que os cristãos deveriam também, guardar, ou seja, cumprir, obedecer;


E arrepende-te...

ARREPENDIMENTO (METANOENÕ), literalmente,” perceber depois” (formado de meta, “depois”, implicando “mudança”, e noeõ, “perceber”; cognato de nous, “mente, o lugar de reflexão moral”), por conseguinte, significa “mudar de mente ou propósito”, sempre envolve no Novo Testamento uma mudança para o melhor. A palavra é encontrada nos Evangelhos Sinóticos (em Lucas nove vezes), em Atos, cinco vezes, em Apocalipse, doze vezes, sendo oito nas mensagens às igrejas (Ap 2.5; 2.16; 2.21 3.3,19), as únicas igrejas nesses capítulos que não contém exortação ao arrependimento são as que estão em Esmirna e Filadelfia.  É importantíssimo observar essa significação. Pois o arrependimento consiste de uma radical transformação de pensamento, atitude e direção. O arrependimento consiste de um abandono ao pecado e de um voltar-se para Deus e seu serviço. O arrependimento consiste de uma revolução naquilo que mais é determinativo na personalidade humana, sendo o reflexo, na consciência, de radical mudança operada pelo Espirito Santo por ocasião da regeneração.

 Arrepender-se significa sentir tristeza por haver violado as leis divinas e ter o desejo de voltar-se a Deus, implorando o perdão e o favor divino. Deus exige arrependimento não apenas dos pecadores (Mt 3.11; 4.17; Mc 1.15; 2.17; Lc 3.3,8; At 3.19; 17.30), mas também daqueles cristãos que não andam em sinceridade (Ap 2.5; 2.16; 21,22; 3.3,19). O Senhor Jesus esperava que ao receberem aquela carta, os cristãos se arrependessem dos seus pecados para receberem a vida (At 11.18);


E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei...

 A cidade de Sardes fora invadida e dominada duas vezes porque se sentia muito segura, e não vigiou. Jesus alerta a Igreja que, se ela não vigiar e não acordar, ele virá a ela como o ladrão de noite, inesperadamente. Em seu sermão profético, o Senhor Jesus ensinou sobre a vigilância, comparando a Sua vinda como a ação de um ladrão, ou seja, em momento inesperado (Mt 24.43,44):Mas considerai isto: se o pai de família soubesse a que vigília da noite havia de vir o ladrão, vigiaria e não deixaria que fosse arrombada a sua casa. Por isso, estai vós apercebidos também, porque o Filho do Homem há de vir à hora em que não penseis”. Os apóstolos também falaram acerca de Sua vinda “como um ladrão” (I Ts 5.2,4): “porque vós mesmos sabeis muito bem que o Dia do Senhor virá como o ladrão de noite. Mas vós, irmãos, já não estais em trevas, para que aquele Dia vos surpreenda como um ladrão”; (II Pe 3.10):Mas o Dia do Senhor virá como o ladrão de noite, no qual os céus passarão com grande estrondo, e os elementos, ardendo, se desfarão, e a terra e as obras que nela há se queimarão”. Porém, quando Jesus disse a Igreja de Sardes que “viria como um ladrão” não estava se referindo a Sua Segunda Vinda, e sim, a um juízo iminente, ou seja, que poderia ocorrer a qualquer momento;


O que vencer será vestido de vestes brancas...

Nas páginas da Bíblia Sagrada, vestes brancas falam de pureza e santidade. Elas aparecem diversas vezes no livro do Apocalipse (Ap 3.5,18):O que vencer será vestido de vestes brancas, e de maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida; e confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos”,” aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os olhos com colírio, para que vejas”;
(Ap 4.4):E ao redor do trono havia vinte e quatro tronos; e vi assentados sobre os tronos vinte e quatro anciãos vestidos de vestes brancas; e tinham sobre a cabeça coroas de ouro”;
(Ap 6.11):E a cada um foi dada uma comprida veste branca e foi-lhes dito que repousassem ainda um pouco de tempo, até que também se completasse o número de seus conservos e seus irmãos que haviam de ser mortos como eles foram”;
(Ap 7.9,13):Depois destas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos”, E um dos anciãos me falou, dizendo: Estes que estão vestidos de vestes brancas, quem são e de onde vieram?
(Ap 19.14):E seguiam-no os exércitos que há no céu em cavalos brancos e vestidos de linho fino, branco e puro”. Mas, quando Jesus se refere a uma promessa aos vencedores, esse “andar” é escatológico, ou seja, futuro, e significa que os vencedores poderão estar na companhia de Cristo por toda eternidade;


De maneira nenhuma riscarei o seu nome do livro da vida

Nenhum outro livro recebe tanta importância nas Sagradas Escrituras do que o livro da vida. Ele é mencionado em (Êx 32.33):Então, disse o Senhor a Moisés: Aquele que pecar contra mim, a este riscarei eu do meu livro”; (Sl 69.28):Sejam riscados do livro da vida e não sejam inscritos com os justos”; (Dn 12.1): E, naquele tempo, se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta pelos filhos do teu povo, e haverá um tempo de angústia, qual nunca houve, desde que houve nação até àquele tempo; mas, naquele tempo, livrar-se-á o teu povo, todo aquele que se achar escrito no livro”; (Lc 10.20):Mas não vos alegreis porque se vos sujeitem os espíritos; alegrai-vos, antes, por estar o vosso nome escrito nos céus”; (Fl 4.3):E peço-te também a ti, meu verdadeiro companheiro, que ajudes essas mulheres que trabalharam comigo no evangelho, e com Clemente, e com os outros cooperadores, cujos nomes estão no livro da vida”. Quando Jesus diz que jamais riscará o nome dos vencedores do livro da vida não está se referindo a uma predestinação fatalista, em que alguns cristãos afirmam “uma vez salvo, salvo para sempre”; mas, pelo contrário, uma predestinação condicional, uma promessa para aqueles que vencerem; e vencer, significa: perseverar até o fim (Mt 10.22; 24.13; Mc 13.13);


E confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos...

Esta promessa nos faz lembrar o que disse Jesus a seus discípulos: “Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus” (Mt 10.32). A expressão “confessar”, neste texto significa: “testificar que pertence a Mim”, ou seja, aqueles que confessam a Cristo, e não se envergonham do Seu nome, além de terem os seus nomes confirmados no livro da vida, serão, no futuro, confessados por Cristo diante do Pai e dos seus anjos.





CONCLUSÃO
Como pudemos ver, a Igreja de Sardes tinha o nome de quem estava viva, mas estava morta; em vez de influenciar a cidade, foi influenciada. Por esta razão, o Senhor Jesus apresenta-se como Aquele que tem os sete Espíritos de Deus, ou seja, o Espírito do Senhor, o Espírito de sabedoria e de entendimento, o Espírito de conselho e de fortaleza, o Espírito de conhecimento e de temor do Senhor. Mas, para que a mesma viesse a ser restaurada era preciso ser vigilante, lembrar-se do que tinha recebido e ouvido e arrepender-se dos seus pecados. No entanto, nem todos estavam corrompidos. Havia ali também cristãos sinceros que não contaminaram suas vestes. Por isso, o Senhor Jesus lhes diz que estes andariam com Ele; e, aos vencedores, Ele prometeu que estes seriam vestidos de vestes brancas, não teriam seus nomes riscados do livro da vida; e que Ele o confessaria o seu nome diante de Seu Pai e diante dos Seus anjos.








REFERÊNCIAS

BÍBLIA de Estudo Aplicação Pessoal. CPAD.
STAMPS, Donald C. BÍBLIA de Estudo Pentecostal. CPAD.
ANDRADE, Claudionor de. Os Sete castiçais de ouro. CPAD.
__________, Dicionário Teológico. CPAD.
LOPES, Hernandes Dias. Estudos no livro de Apocalipse. Hagnos.
SILVA, Severino Pedro da. Apocalipse, versículo por versículo. CPAD.
J. D. DOUGLAS, O Novo Dicionário da Bíblia. VIDA NOVA
• W. E. VINE, Dicionário Vine. CPAD
ORLANDO BOYER, Pequena Enciclopédia Bíblica. CPAD
Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Recife / PE - Superintendência das Escolas Bíblicas Dominicais

Nenhum comentário: