...

25/05/2012

LIÇÃO 09 – LAODICÉIA, UMA IGREJA MORNA



INTRODUÇÃO

A sétima e última carta do Apocalipse é dirigida à igreja de Cristo que estava em Laodicéia – uma das mais prósperas cidades da Ásia. Veremos que na época de Paulo, já havia uma igreja formada nesta cidade, e que por algum tempo fora assistida pelo obreiro Epafras. Observaremos que o conteúdo desta carta está contido de muitas referências a cultura local, que o Senhor usa para transmitir aos crentes laodicenses severas repreensões, afinal de contas, das sete igrejas, Laodicéia é a que estava em pior situação, pois eles haviam perdido seus principais bens: fervor, riqueza espiritual, visão e santidade. Por fim, Jesus lhes convoca ao arrependimento, a fim de que pudessem ser restituídos, e assim, alcançarem as promessas feitas aos que vencerem.

v  LAODICÉIA (GREGO) – LAODICE = LEIGOS
“JULGAMENTO DO POVO, JUSTIÇA DO POVO, POVO REINANTE, DIREITO DO POVO, GOVERNO DO POVO”

Laodiceia (em grego: Λαοδίκεια πρός το Λύκου; em latim: Laodicea ad Lycum; em turco: Laodikya), por vezes transliterada como Laodikeia, anteriormente chamada Diospolis e Rhoas, foi uma das mais prósperas cidades da Frígia, durante a época romana. A cidade devia sua considerável riqueza a uma combinação de comércio, bancos, manufaturas e a produção de uma fina e lustrosa lã, assim como à produção de bálsamo para os olhos. No entanto, apesar de tanta opulência a cidade tinha uma desvantagem: nela não havia suprimento de água. Apesar de toda sua riquesa, a cidade não podia produzir nem o poder curativo da água quente, como a sua visinha Hierápolis, nem o poder refrescante da água fria que podia se encontrar em Colossos.

Localização. Era uma cidade da província romana da Ásia, a oeste daquilo que é atualmente a Turquia Asíática. Localizada, na área sudoeste da Frígia, ficava 10 km ao sul de Hierápolis e 16 km a oeste de Colossos. Devido à sua posição, era um centro comercial extremamente próspero, por isso, quando sofreu no ano 60 d.C. um grande terremoto, recusou ser reconstruída com o auxílio do Império Romano, alegando ter condições de reerguer-se por seus próprios recursos.
Curiosamente, os vestígios arqueológicos jamais revelaram quaisquer sinais de que a igreja de Laodicéia teria tido êxito na propagação do evangelho na região, ao contrário da igreja de Éfeso, cujos registros arqueológicos provaram que a mesma foi muito eficaz em suas atividades ministeriais.

I Perfil da Igreja de Laodicéia

O Evangelho foi chegou em Laodicéia em data bem recuada, provavelmente quando Paulo estava morando em Éfeso (At 19.10), E durou isto por espaço de dois anos, de tal maneira que todos os que habitavam na Ásia ouviram a palavra do Senhor Jesus, tanto judeus como gregos”. e talvez por intermédio de Epafras.
Em Colossenses 4:12-16, Paulo indica que havia uma relação entre a igreja de Colossos e a de Laodicéia, ou pelo menos ele estimula que haja uma comunicação entre as duas igrejas:
Cl 4.12 - Saúda-vos Epafras, que é dos vossos, servo de Cristo, combatendo sempre por vós em orações, para que vos conserveis firmes, perfeitos e consumados em toda a vontade de Deus.
13 - Pois eu lhe dou testemunho de que tem grande zelo por vós, e pelos que estão em Laodicéia, e pelos que estão em Hierápolis.
14 - Saúda-vos Lucas, o médico amado, e Demas.
15 - Saudai aos irmãos que estão em Laodicéia, e a Ninfa, e à igreja que está em sua casa.
16 - "E, uma vez lida esta epístola perante vós, providenciai por que seja também lida na igreja dos laodicenses; e a dos de Laodicéia, lede-a igualmente perante vós”. (RC)
v  Peço que, depois de lerem esta carta, vocês a mandem para Laodicéia a fim de que os irmãos de lá também a leiam. E vocês leiam a carta que vai chegar de Laodicéia. (NTLH)

Embora Paulo faça menção da igreja cristã que ali existia, não há registro que ele a tenha visitado. É evidente que essa igreja mantinha conexões íntimas com as comunidades das cidades visinhas de Hierápolis e Colossos.
Ao que parece, Paulo havia enviado antes à igreja de Laodicéia uma epístola que não chegou até nós. Segundo alguns erudito, referir-se-ia a uma cópia da nossa epístola aos “Efésios” que teria sido recebida pela igreja dos laodicences.

II – COMO JESUS IDENTIFICA-SE A LAODICÉIA

O remetente. Já vimos que para cada igreja Jesus identifica-se de forma diferente como remetente da carta. Para Laodicéia Ele se revela da seguinte forma: “E ao anjo da igreja que está em Laodicéia escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus” (Ap 3.14);

O Amém”. A palavra “amém” (amen). Este vocábulo é transliterado do hebraico para o grego e para a nossa língua “seus signifiados podem ser vistos em passagens como Dt 7.9 (‘o Deus fiel – amem’); Is 49.7 ( o ‘SENHOR, que é fiel’); Is 65.16 ( o ‘Deus da verdade – do amem’). E se Deus é fiel, os seus testemunhos e mandamentos são certos, ‘fieis’ (Sl 19.7), A lei do Senhor é perfeita e refrigera a alma; o testemunho do Senhor é fiel e dá sabedoria aos símplices; (Sl111.7), As obras das suas mãos são verdade e juízo; fiéis, todos os seus mandamentos. Também é usado para exprimir aquiescência à oração feita por outrem (1 Rs 1.36), Então, Benaia, filho de Joiada, respondeu ao rei e disse: Amém! Assim o diga o Senhor, Deus do rei, meu senhor, onde é definido por ‘que assim Deus também diga’, ou, em outra ação de graças (1Cr 16.36), Louvado seja o Senhor, Deus de Israel, de século em século. E todo o povo disse: Amém! E louvou ao Senhor, quer por um individuo (Jr11.5) para que confirme o juramento que fiz a vossos pais de dar-lhes uma terra que manasse leite e mel, como se vê neste dia. Então, eu respondi e disse: Amém, ó Senhor!, ou pela congregação (Sl 106.48), Bendito seja o Senhor, Deus de Israel, de eternidade em eternidade, e todo o povo diga: Amém! Louvai ao Senhor!
“Assim, o ‘amém’ dito por Deus é: ‘e assim é e assim será’; e por homens ‘assim seja’”. Uma vez no Novo Testamento encontramos o ‘amem’ como título de Cristo (Ap 3.14), porque por meio dEle os propósitos de Deus são estabelecidos (2Co 1.20), Porque todas quantas promessas há de Deus são nele sim; e por ele o Amém, para glória de Deus, por nós”.
Traz o significado de “assim seja”, “é assim”. Ela era usada na liturgia judaica e nos cultos de adoração como afirmação de fé na validade, ou veracidade da mensagem que era lida ou proferida. As igrejas cristãs primitivas seguiam o exemplo de Israel, associando-se audivelmente com as orações e ações de graças oferecidas em seu beneficio (1Co 14.16), Doutra maneira, se tu bendisseres com o espírito, como dirá o que ocupa o lugar de indouto o Amém sobre a tua ação de graças, visto que não sabe o que dizes? onde o artigo ‘o’ aponta para uma prática comum. Além disso, este costume as conforma com o padrão das coisas dos céus (Ap 5.14), E os quatro animais diziam: Amém! E os vinte e quatro anciãos prostraram-se e adoraram ao que vive para todo o sempre.
O individuo também dizia ‘amem’ para expressar ‘assim seja’ em resposta ao divino ‘assim será’ (Ap 22.20), Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente, cedo venho. Amém! Ora, vem, Senhor Jesus!
O Senhor Jesus usava frequentemente o ‘amem’, traduzido por ‘ na verdade, na verdade’, ‘ verdadeiramente’, para apresentar novas revelações da mente de Deus.

“A testemunha fiel e verdadeira”. O dicionário Aurélio nos informa que a palavra “testemunha” significa: pessoa que viu ou ouviu alguma coisa ou que é chamada a juízo, para depor sobre o que viu ou ouviu. No caso, a igreja que estava em Laodicéia, não podia queixar-se de ser acusada injustamente, porque Jesus Cristo era a testemunha fiel (exata) e verdadeira (autêntica) que acompanhava o dia a dia da igreja, pois ele é onisciente (Ap 1.14) e onipresente (Ap 1.13).

III – LAODICÉIA, UMA IGREJA MORNA, POBRE, CEGA E NUA

Já vimos em outras lições que Éfeso perdera o amor, Pérgamo casara com o mundo, Tiatira tolerou o pecado, Sardes estava morta; e agora o Cristo que está no meio dos castiçais e anda no meio dos deles, sondou esta igreja e em sua carta deixou claro que a igreja de Laodicéia estava com a cara da cidade: orgulhosa e auto-suficiente, pois, ao invés de influenciar, tinha sido influenciada, e que apesar de pensarem estar bem, aos seus próprios olhos: “tu dizes”, não estavam aos olhos dEle “e não sabes que és”. Eis abaixo o seguinte diagnóstico dado por Jesus:

A igreja perdera seu fervor espiritual

O Cristo glorificado consegue detectar que aquela comunidade de cristãos o servia sem fervor, por isso afirma categoricamente: “Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente; quem dera foras frio ou quente” (Ap 3.15). Jesus diz que a temperatura espiritual daquela igreja se encontrava idêntica a da água que eles recebiam, e que estava sentindo náuseas “Assim, porque és morno, e não és frio nem quente, vomitar-te-ei da minha boca” (Ap 3.16). O crente em estado de mornidão é aquele que hesita entre dois pensamentos, Então, Elias se chegou a todo o povo e disse: Até quando coxeareis entre dois pensamentos? Se o Senhor é Deus, segui-o; e, se Baal, segui-o. Porém o povo lhe não respondeu nada (I Rs 18.21); o coração está dividido, O seu coração está dividido; por isso, serão culpados; cortará os seus altares e destruirá as estátuas,  (Os 10.2); serve ao Senhor parcialmente, E fez o que era reto aos olhos do Senhor, porém não com coração inteiro. (II Cr 25.2).

·         Para complemento de estudo;
INFLUENCIAR OU SER INFLUENCIADO
AS TRES CLASSES DE PESSOAS

A igreja tinha perdido seus valores

Apesar de igreja alegar possuir riqueza “rico sou e estou enriquecido e de nada tenho falta” (Ap 3.17-a), porque a cidade possuía um importante centro bancário e de troca de moedas, o Senhor a reprova severamente dizendo: “és pobre” (Ap 3.17-b). “Supõe-se que a igreja estava desfrutando dessa aparente prosperidade porque ao contrário de Esmirna que se opunha ao culto ao imperador mesmo lhes custando a pobreza e a morte, os crentes de Laodicéia, pelo contrário, para evitarem a perseguição e não perderem seus bens, prestavam homenagem a Domiciano como um deus, alegando ser apenas por formalidade e não de coração”.

A igreja tinha perdido sua visão. A medicina de Laodicéia estava tão avançada ao ponto de descobrirem o unguento oftálmico que trouxe muitos benefícios para alguns tipos de enfermidades nos olhos. No entanto, Jesus lhes confessa abertamente: “és pobre, e cego” (Ap 3.17-b). Os cristãos tinham olhos apenas para os bens materiais, perdendo assim a visão do Reino, que dá primazia aos bens espirituais “Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam. Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam” (Mt 6.19,20)

A igreja tinha perdido suas vestimentas. Laodicéia também era famosa por sua indústria de lã e sua produção de excelentes peças de vestuários. Apesar disso, Cristo diz: “és pobre, cego e nu” (Ap 3.17-b). Como podemos ver, as vestes luxuosas dos crentes de Laodicéia não podiam cobrir sua nudez espiritual, tal qual as folhas de figueira não foram suficientes para cobrir a nudez do primeiro casal no Éden (Gn 3.7).

IV – EXORTAÇÕES E PROMESSAS

Diante do que foi exposto pelo Senhor Jesus aquela igreja na carta, percebemos que seu propósito era revelar a doença e mostrar a cura que consistia em: atender a sua repreensão (Hb 12.5); aceitar o seu castigo (Hb 12.6,7; I Co 11.32); ser zeloso (Tg 2.14) e se arrepender (Ap 3.19). Logo, podemos perceber que a situação não era irremediável e que cabia aqueles cristãos perceberem essa oportunidade de renovarem sua aliança com Cristo que os convida a comprar dele bens que o dinheiro não pode adquirir, mas que se pode obter por sua maravilhosa graça. Por isso, os aconselha, dizendo:

 “...compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças”
Isso aponta para uma fé verdadeira que é mais preciosa que o ouro perecível (I Pe 1.7), para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo;

“...vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez...”
Que diz respeito a uma vida espiritual de pureza e santidade (Ap 3.4), Mas também tens em Sardes algumas pessoas que não contaminaram suas vestes e comigo andarão de branco, porquanto são dignas disso; (19.8), E foi-lhe dado que se vestisse de linho fino, puro e resplandecente; porque o linho fino são as justiças dos santos.

 “...e que unjas os teus olhos com colírio, para que vejas...”
Que indica a iluminação dos olhos do entendimento pela revelação da Palavra e do Espírito (Sl 19.8), Os preceitos do Senhor são retos e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro e alumia os olhos; (Ef 1.18), tendo iluminados os olhos do vosso entendimento, para que saibais qual seja a esperança da sua vocação e quais as riquezas da glória da sua herança nos santos.
A cegueira espiritual é uma característica de pessoas que não tem uma vida cheia do Espirito Santo (Ef 5.13-18), Mas todas essas coisas se manifestam, sendo condenadas pela luz, porque a luz tudo manifesta. Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te esclarecerá.
Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios, mas como sábios, remindo o tempo, porquanto os dias são maus. Pelo que não sejais insensatos, mas entendei qual seja a vontade do Senhor. E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito, a semelhança das pessoas que vivem no mundo sem Cristo (2Co 4.4), nos quais o deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não lhes resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, que é a imagem de Deus..., o crente morno não discerne o certo do errado, mas vive conformado com o mundo (Rm 12.2), E não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

CONCLUSÃO

Como pudemos perceber, mesmo em meio a uma tamanha mornidão, orgulho, presunção e cegueira da parte da igreja de Laodicéia, o Senhor Jesus gentilmente deseja restaurar-lhes a comunhão perdida, dizendo que estava à porta e batia, indicando uma iniciativa; que desejava estar e cear com eles. Porém, para isso, deveriam cumprir a sua parte ouvindo a sua voz e abrindo a porta (Ap 3.20). Por fim, ainda diz que os vencedores seriam galardoados, reinando com ele no Milênio (Ap 3.21).


REFERÊNCIAS
STAMPS, Donald C. Biblia de Estudo Pentecostal. CPAD.
SILVA, Severino Pedro da. Apocalipse, versículo por versículo. CPAD.
ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger. Comentário Bíblico Pentecostal. CPAD.
CHAMPLIN, R.N. O Novo Testamento Interpretado versículo por Versículo. HAGNOS.
J. D. DOUGLAS, O Novo Dicionário Da Biblia, VIDA NOVA.
W. E. VINE, MERRIL F. UNGER, WILLIAM WHITER JR., Dicionário Vine, CPAD

Nenhum comentário: