...

13/07/2015

PECADO





Os termos bíblicos para designar o pecado são vários. No Hebraico os mais comuns são: “hata’t” (em diversas formas da mesma raiz), “awon”, “resha”, “ra”, e no Grego temos “Hamrtia", “hamartema”, "Parabasis”, “Paraptoma”, “Poneria”, “Anomia” e “Adikia”. Existem distinções expressas através desses termos, refletem eles os diferentes aspectos mediantes os quais o pecado pode ser contemplado.

O pecado é fracasso, é erro, é iniquidade, é transgressão, é contravenção, é falta de lei, é injustiça, é um mal insolúvel.

Porém, a definição do pecado não pode ser derivada apenas dos termos bíblicos para denota-lo.

A característica mais notável do pecado, em todos os seus aspectos, é que é orientado contra Deus.

Davi expressou essa verdade em sua confissão: “Pequei contra ti, contra ti somente” (Sl 51.4).

Segundo o dicionário Vine, Ãwõn é: “iniquidade, maldade”. Esta palavra é derivada da raiz ãwãh, que significa “ser curvado, torcido, deturpado, pervertido” ou “torcer, perverter”. O cognato Árabe ãwã quer dizer “torcer, curvar”. Alguns estudiosos consideram o termo Árabe charã “errar de caminho” como o verdadeiro cognato, mas há menos justificação para esta interpretação.

O termo ãwõn retrata que o pecado é uma perversão de vida (uma torção no erro), ou uma perversão da intenção (um dobramento da retidão em desobediência voluntariosa).

 A palavra “iniquidade” é o melhor equivalente, embora a raiz latina iniquitas na verdade significa “injustiça, falta de retidão, hostil, adverso”.
O NT emprega várias palavras em grego para descrever o pecado nos seus aspectos. As mais importantes são:


HAMARTIA – Transgredir, praticar o mal, pecar contra Deus.
Jo 9.41 - Disse-lhes Jesus: Se fôsseis cegos, não teríeis pecado; mas como agora dizeis: Vemos; por isso o vosso pecado permanece.

ADIKIA – Iniquidade, maldade ou injustiça.
Rm 1.18 - Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça.
1Jo 5.17 - Toda a iniqüidade é pecado, e há pecado que não é para morte.



O termo pode ser descrito como falta de amor, porque todos os delitos surgem por falta de amor a Deus e ao próximo.
Em Mt 22.37–40 Jesus disse: ” E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento. Este é o primeiro e grande mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Destes dois mandamentos dependem toda a lei e os profetas.

ADIKIA, também é o pecado como poder, agindo na pessoa para escravizar e enganar.
Rm 5.12 - Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram.

Hb 3.13 - Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado;


ANOMIA – ilegalidade, iniquidade e a rebeldia à Lei de Deus.
Rm 6.19 - Falo como homem, pela fraqueza da vossa carne; pois que, assim como apresentastes os vossos membros para servirem à imundícia, e à maldade para maldade, assim apresentai agora os vossos membros para servirem à justiça para santificação.

1Jo 3.4 - Qualquer que comete pecado, também comete iniqüidade; porque o pecado é iniqüidade.


APISTIA – incredulidade ou infidelidade.

Rm 3.3 - Pois quê? Se alguns foram incrédulos, a sua incredulidade aniquilará a fidelidade de Deus?
Hb 3.12 - Vede, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel, para se apartar do Deus vivo.


Destas definições podemos tirar a conclusão que a essência de pecado jaz no egoísmo, no apegamento do ser humano as coisas ou aos prazeres, para si mesmo, sem fazer caso do bem-estar dos outros e dos mandamentos de Deus. Isso leva a crueldade aos outros e à rebelião contra Deus e sua lei.


Em última análise, o pecado é a recusa de sujeição a Deus e à sua Palavra.


Rm 1.18 – 25 - Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lho manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis; Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.





É inimizade contra Deus.
 Rm 8.7 - Porquanto a inclinação da carne é inimizade contra Deus, pois não é sujeita à lei de Deus, nem, em verdade, o pode ser.

Rm 5.10 - Porque se nós, sendo inimigos, fomos reconciliados com Deus pela morte de seu Filho, muito mais, tendo sido já reconciliados, seremos salvos pela sua vida.

Cl 1.21 - A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou.


É desobediência.

Rm 11.32 - Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia.
Gl 3.22 - Mas a Escritura encerrou tudo debaixo do pecado, para que a promessa pela fé em Jesus Cristo fosse dada aos crentes.

Ef 2.2 - Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência;

Ef 5.6 - Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por estas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.


O pecado é também a corrupção moral nos seres humanos opondo-se a todas as vontades humanas sadias. Ele nos leva tanto a deleitar-nos em cometer iniquidade, como também a sentir prazer nas más ações dos outros.

Rm 1.21-32 - Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos.
E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis.
Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém. Por isso Deus os abandonou às paixões infames. Porque até as suas mulheres mudaram o uso natural, no contrário à natureza.
E, semelhantemente, também os homens, deixando o uso natural da mulher, se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros, homens com homens, cometendo torpeza e recebendo em si mesmos a recompensa que convinha ao seu erro. E, como eles não se importaram de ter conhecimento de Deus, assim Deus os entregou a um sentimento perverso, para fazerem coisas que não convêm;
Estando cheios de toda a iniqüidade, fornicação, malícia, avareza, maldade; cheios de inveja, homicídio, contenda, engano, malignidade; Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães;
Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; Os quais, conhecendo o juízo de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem
.


Gn 6.5 - E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente.

É, por outro lado, um poder que escraviza e corrompe, a medida nos entregamos a ele.

Rm 3.9 - Pois quê? Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado;

Rm 6.12 - Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências;

Rm 7.14 - Porque bem sabemos que a lei é espiritual; mas eu sou carnal, vendido sob o pecado.


O pecado está arraigado nos desejos humanos.

Tg 1.14 - Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência.

Tg 4.1 - De onde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?


Desde o início e através de todo seu desenvolvimento, o pecado é orientado contra Deus e somente essa análise pode explicar a diversidade de suas formas e atividades. Quando as Escrituras dizem que o pecado é transgressão da Lei (1Jo 3.4 - Qualquer que comete pecado, também comete iniqüidade; porque o pecado é iniquidade.), é para esse mesmo conceito que a nossa atenção é atraída.

A Lei é o transcrito da perfeição de Deus; é sua santidade expressando-se e visando a regulamentação do pensamento e da ação de maneira consoante com essa perfeição. A transgressão é a violação daquilo que é exigido da nossa parte pela glória de Deus e, por conseguinte, em sua essência, é a contradição contra Deus.

Continua (...)

Nenhum comentário: