...

06/06/2012

Lição 11 - O EVANGELHO DO REINO NO IMPÉRIO DO MAL



Introdução
Após o arrebatamento, com a manifestação do anticristo e a grande tribulação, vemos o Senhor atuando poderosamente para salvar, cumprindo assim sua Palavra,(Mt 24.14 - E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim), maneira de como o Senhor fará isso é o que estudaremos nessa lição.

A PALAVRA DE DEUS APÓS O ARREBAMENTO

A Palavra de Deus é eterna
·         Is 40.8 - Seca-se a erva, e caem as flores, mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente.
·         Jo 1.1 - No princípio, era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
·         1 Pe 1.25 - ...mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada.

A Palavra de Deus é eterna porque foi inspirada pelo eterno Deus. Ela não perderá sua inspiração após o arrebatamento
2 Tm 3.16 - Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça;
2Pe 1.20,21 - o qual, na verdade, em outro tempo, foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado, nestes últimos tempos, por amor de vós; e por ele credes em Deus, que o ressuscitou dos mortos e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus
Atuará eficazmente nas vidas pessoas
Is 55.10,11 - Porque, assim como descem a chuva e a neve dos céus e para lá não tornam, mas regam a terra e a fazem produzir, e brotar, e dar semente ao semeador, e pão ao que come, assim será a palavra que sair da minha boca; ela não voltará para mim vazia; antes, fará o que me apraz e prosperará naquilo para que a enviei.
Hb 4.12 - Porque a palavra de Deus é viva, e eficaz, e mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até à divisão da alma, e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.
Para que todas as profecias sejam plenamente cumpridas é necessário que a Palavra seja pregada até a consumação dos séculos
Mt 24.14 - E este evangelho do Reino será pregado em todo o mundo, em testemunho a todas as gentes, e então virá o fim

NOTA:
·         EVANGELHO
·A Bíblia é o livro das Boas Novas. Para os cristãos, Boas Novas significam que Jesus veio a este mundo. Ele trouxe uma mensagem de esperança a todas as pessoas. Mais tarde, morreria na Cruz para salvar pessoas de seus pecados. De fato, a palavra evangelho é uma palavra inglesa que significa "alegres novidades" ou "boas notícias".
·A MENSAGEM DO EVANGELHO DE ISAIAS
·O profeta Isaías que viveu mais de setecentos anos antes de Jesus nascer, nos dá uma profecia sobre as Boas Novas que Jesus traria. No tempo em que Isaías viveu, Israel estava numa situação desesperadora. Depois de anos de vida pecaminosa, a paciência de Deus finalmente se esgotou para com seu povo. A Assíria havia conquistado a maior parte do território. Seus soldados capturaram muitas pessoas e as tiraram de seus lares para viverem como escravos numa terra estranha.
·A situação parecia não ter esperança, mas Deus tinha outros planos. Ele disse a Isaías que desejava restaurar Seu povo. Isaías sabia que o povo de Deus não merecia ajuda. Eles sofreram muito nas mãos de seus inimigos, mas seu sofrimento não os afastou do pecado.
·Deus revelou que salvaria Seu povo por Sua graça. Uma vez que não havia justiça entre eles, Deus declarou que faria justiça em Israel. Por acaso aquilo significou que Deus afrouxou seus padrões de justiça? Seriam os pecados de Israel ignorados? Não, a punição pelos pecados de Israel ainda teria que ser paga completamente. Mas quem pagaria o preço pelo grande débito de Israel? Deus, através de Sua misericórdia, mostraria Seu Servo para ocupar o lugar de seu povo desobediente. Isaías proclamou que através da obra do Servo, muitos seriam considerados retos para com Deus.
·Deus também mostrou a Isaías que um mensageiro seria enviado antes do Servo. Essa pessoa seria chamada O Ungido que anunciaria as Boas Novas da misericórdia de Deus. Deus seria glorificado através de sua pregação (Isaías 53:3). Essa profecia se completou em João Batista, que prepararia o povo de Deus para a chegada de Jesus.
·O EVANGELHO NO NOVO TESTAMENTO
·O grande evento que os escritores do Novo Testamento descrevem com tanto entusiasmo é a obra de Jesus Cristo. Ela é tão importante que podemos dizer que inicia uma nova era na história de Deus com Seu povo. Antes disso, o povo de Deus tinha somente uma vaga idéia do que Deus tinha reservado para ele. De fato, dizem os escritores do Novo Testamento, as Boas Novas só eram reveladas em ocasiões raras antes da vinda de Jesus ao nosso mundo. É verdade que atentos estudiosos do Velho Testamento podiam identificar evidências de que Deus tinha planos de salvar seu povo. Também é verdade que muitas profecias do Velho Testamento apontavam claramente para o nascimento de um Messias. Mas os autores do Velho Testamento podiam somente antecipar o que aconteceria. Os escritores do Novo Testamento nos contam que as Boas Novas aconteceram. Os evangelhos e cartas do Novo Testamento nos contam mais sobre as novas da salvação do que as promessas da salvação.
·Se alguém estudar o novo Testamento cuidadosamente, descobrirá que as palavras "boas novas" e "evangelho" quase sempre se referem aos fatos associados com Jesus. De acordo com Marcos 1:1-4, o evangelho começou não no Velho Testamento, mas com a vida de João Batista. Paulo também nos conta que o evangelho foi uma bênção prometida no Velho Testamento, mas não foi revelada até a vinda de Jesus (Romanos 1:1-5; Atos 13:32-33).
·A BOA NOVA DA VINDA DE CRISTO
·João Batista é uma importante figura na história do evangelho. Seu nascimento representou boas novas não só para seus pais mas também para as pessoas em todos os lugares. A missão de João era pregar o que Deus havia lhe dito sobre a vinda do Messias. João disse às multidões que o Messias viria para julgar e salvar. Ele exortou pecadores sobre o castigo vindouro e disse que se arrependessem antes que fosse tarde. Também revelou as Boas Novas; se parassem de pecar e mudassem suas vidas, receberiam perdão. O Messias, que viria em breve, os receberia em seu reino.

Esse mesmo Evangelho será a mensagem entregue pelos pregadores durante o reino do mal, esse pregadores são apresentados como:
·         Os mártires
·         144 mil
·         As duas testemunhas


O ESPÍRITO SANTO APÓS O ARREBATAMENTO

A Palavra de Deus mostra a atuação do Espírito Santo desde a criação.
Gn 1.2 - E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.
Na construção do Tarbenáculo o Espírito Santo capacitou a Bezalel e Aoliabe
Ex 31.2-6 Eis que eu tenho chamado por nome a Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, de sabedoria, e de entendimento, e de ciência em todo artifício, para inventar invenções, e trabalhar em ouro, e em prata, e em cobre, e em lavramento de pedras para engastar, e em artifício de madeira, para trabalhar em todo lavor. E eis que eu tenho posto com ele a Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, e tenho dado sabedoria ao coração de todo aquele que é sábio de coração, para que façam tudo o que te tenho ordenado,
Na vida dos Juizes para livrar e Israel
Jz 14.6 - Então, o Espírito do Senhor se apossou dele tão possantemente, que o fendeu de alto a baixo, como quem fende um cabrito, sem ter nada na sua mão; porém nem a seu pai nem a sua mãe deu a saber o que tinha feito.
O Espírito Santo capacitava os Reis de Israel
1Sm 16.13 - Então, Samuel tomou o vaso do azeite e ungiu-o no meio dos seus irmãos; e, desde aquele dia em diante, o Espírito do Senhor se apoderou de Davi. Então, Samuel se levantou e se tornou a Ramá.
A igreja milita nessa terra com a capacitação direta do Espírito Santo, após o arrebatamento estará encerrando o tempo que conhecemos como dispensação da graça, onde nós vemos a plenitude do poder do Espírito Santo. Se o Apocalipse mostra que haverá salvação durante este período, é porque a Palavra continuará a ser pregada e o Espírito Santo continuará agindo, pois, é ele quem convence o homem. “E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo" (Jo 16.8). “No começo da Tribulação, o Espírito Santo será “afastado”. Isso não significa ser ELE tirado do mundo, pois sendo DEUS, Ele é onipresente, mas que cessará sua influência restritiva à iniquidade e ao surgimento do Anticristo (2Ts. 2.7), Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que, agora, resiste até que do meio seja tirado;. O Espírito Santo, todavia, agirá na terra durante a Tribulação, convencendo pessoas dos seus pecados e convertendo-as a Cristo”.
Ap. 7.9 - 14 Depois destas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos; e clamavam com grande voz, dizendo: Salvação ao nosso Deus, que está assentado no trono, e ao Cordeiro.
E todos os anjos estavam ao redor do trono, e dos anciãos, e dos quatro animais; e prostraram-se diante do trono sobre seu rosto e adoraram a Deus, dizendo: Amém! Louvor, e glória, e sabedoria, e ações de graças, e honra, e poder, e força ao nosso Deus, para todo o sempre. Amém!
E um dos anciãos me falou, dizendo: Estes que estão vestidos de vestes brancas, quem são e de onde vieram? E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram de grande tribulação, lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro.

VISÃO DOS MARTIRES NA GLÓRIA

Ap 7.9 - Depois destas coisas, olhei, e eis aqui uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas, que estavam diante do trono e perante o Cordeiro, trajando vestes brancas e com palmas nas suas mãos;
Deus levantará uma grande multidão que não se prostrará diante da besta e nem aceitará sua marca. O seu testemunha de fé os levará ao martírio;
Ap 7.14 – 17 - E eu disse-lhe: Senhor, tu sabes. E ele disse-me: Estes são os que vieram de grande tribulação, lavaram as suas vestes e as branquearam no sangue do Cordeiro. Por isso estão diante do trono de Deus e o servem de dia e de noite no seu templo; e aquele que está assentado sobre o trono os cobrirá com a sua sombra. Nunca mais terão fome, nunca mais terão sede; nem sol nem calma alguma cairá sobre eles, porque o Cordeiro que está no meio do trono os apascentará e lhes servirá de guia para as fontes das águas da vida; e Deus limpará de seus olhos toda lágrima.

Esses mártires ressurgirão após a grande tribulação e reinarão com Cristo por mil anos;
Ap 20.4 - E vi tronos; e assentaram-se sobre eles aqueles a quem foi dado o poder de julgar. E vi as almas daqueles que foram degolados pelo testemunho de Jesus e pela palavra de Deus, e que não adoraram a besta nem a sua imagem, e não receberam o sinal na testa nem na mão; e viveram e reinaram com Cristo durante mil anos.
Ap 20.6 - Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos.

OS 144 MIL ASSINALADOS

Ap 7.4 - E ouvi o número dos assinalados, e eram cento e quarenta e quatro mil assinalados, de todas as tribos dos filhos de Israel.
Os 144.000 israelitas que são mencionados em (Ap. 14.1) são o mesmos que foram selados em (Ap. 7.4-8; Ap. 7.9-17). Eles representam uma quantidade dos israelitas redimidos remanescente (Rm. 11.26). Eles fazem o contraste com os adoradores da besta que foram marcados para a condenação. Estes são chamados de “primícias” os primeiros frutos colhidos, penhores da futura, pertenciam ao Senhor (Lv 22.12; Nm 5.9; 18.8; 28 e 29). Assim também, os 144 mil são as “primícias” dentre os israelitas comprados para Deus e para o Cordeiro. Vejamos algumas características deste grupo de israelitas:

·         a)Não estão contaminados”. É esta uma das razões que os faz “primícias” à semelhança de Cristo as primícias dos que dormem (1Co 15.20);

·         b) São virgens”. Existem várias interpretações sobre esta expressão. Há quem interprete ser literal e outros acreditam ser metafórico. Devemos compreender isto no sentido “espiritual”, ou seja, simbólico (Mt. 25.1), Então, o Reino dos céus será semelhante a dez virgens que, tomando as suas lâmpadas, saíram ao encontro do esposo; (Tg. 4.4), dúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus. Em contraste com a igreja apóstata (Ap. 14.8), E outro anjo seguiu, dizendo: Caiu! Caiu Babilônia, aquela grande cidade que a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição! que espiritualmente era uma “prostituta(Ap. 17.1), E veio um dos sete anjos que tinham as sete taças e falou comigo, dizendo-me: Vem, mostrar-te-ei a condenação da grande prostituta que está assentada sobre muitas águas,. A expressão “virgens” significa que não foram desviados da fidelidade ao Senhor. Conservaram em si mesmos sua pureza “virginal” no sentido simbólico, pois se trata de um “celibato espiritual” (2Co 11.2; Ef 5.25-27; Ap 2.4);

·         c) “São os que seguem o Cordeiro”. Essas palavras estão de acordo com o que lemos em (Mc 2.14; 10.21; Lc 9.59; Jo 1.43 e 21.19), que falam sobre as exigências do discipulado cristão e sobre o fato que Cristo chama alguns para “segui-lo”. O caráter dos 144 mil demonstra isso muito bem, a seriedade em suas vidas e no seu caráter, os declarou “pioneiros da fé” não fingida durante o sombrio tempo de extrema apostasia;

·         d) Como primícias. Na qualidade de “colheita”, Cristo foi o primeiro. No presente texto (Ap. 14.1-5), E olhei, e eis que estava o Cordeiro sobre o monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que em sua testa tinham escrito o nome dele e o de seu Pai. E ouvi uma voz do céu como a voz de muitas águas e como a voz de um grande trovão; e uma voz de harpistas, que tocavam com a sua harpa.3E cantavam um como cântico novo diante do trono e diante dos quatro animais e dos anciãos; e ninguém podia aprender aquele cântico, senão os cento e quarenta e quatro mil que foram comprados da terra. Estes são os que não estão contaminados com mulheres, porque são virgens. Estes são os que seguem o Cordeiro para onde quer que vai. Estes são os que dentre os homens foram comprados como primícias para Deus e para o Cordeiro. E na sua boca não se achou engano; porque são irrepreensíveis diante do trono de Deus.
Os 144 mil foram também aceitos como os primeiros a aceitarem o testemunho de Cristo no período tribulacional, e por cuja razão são contados como “primícias”, e “seguidores” do Cordeiro para onde quer que vai.

·         e) “...na sua boca não se achou engano”. Isso pode ser comparado com 1Pe 1.19, onde Cristo, na qualidade de Cordeiro de Deus, aparece “sem mácula”. A dignidade destes 144 mil já se encontrava profetizada nas páginas áureas da Bíblia Sagrada, (Sf 3.13), Os seus príncipes são leões rugidores no meio dela; os seus juízes são lobos da tarde, que não deixam os ossos para o outro dia. que diz: “os remanescentes de Israel não cometerão iniquidade, nem proferirão mentira, e na sua boca não se achará língua enganosa”. Os 144 mil serão assim. Eles não “negarão” a Cristo; não concordarão com a fraude do culto do Anticristo. Eles se manterão puros de toda idolatria e imoralidade“.

DUAS TESTEMUNHAS

As duas testemunhas têm sido identificadas de várias maneiras. Para alguns comentadores tratam-se de: Enoque e Elias (Gn 5.24; 2Rs 2.11); Moisés e Elias (Dt 34.6; Lc 9.30-31; Jd v.9); Josué e Zorobabel (Zc 4); João e Paulo (Jo 21.22-23 e Fl 1.22-25); A lei e a graça (Rm 3.21). O certo, é que eles serão, dois grandes representantes levantados por Deus. Cumprirão a vontade de Deus à risca do seu propósito, e realizarão a sua missão durante o tempo da Grande Tribulação. O que sabemos destas duas testemunhas a luz de Ap.11.1-13 é o seguinte:

• Exercerão seu ministério na primeira metade da Grande Tribulação, durante 42 meses, ou seja, 1260 dias. (Ap. 11 2-3);
• Terão um especial poder e grande autoridade da parte de Deus para cumprirem sua missão (Ap.11.3,5 e 6);
• Trajar-se-ão de pano de saco (Ap 11.3);
• São comparados a duas oliveiras e dois castiçais que estão diante de Deus (Ap.11.4);
• Farão sinais e prodígios (Ap 11.6);
• Quando acabarem a sua missão, serão mortas pelo Anticristo (Ap.11.7);
• Os corpos delas permanecerão expostos em praça pública, em Jerusalém (Ap.11.8-10);
• As Testemunhas ressuscitarão depois de três dias e meio (Ap. 11.11);
• Ao ressuscitarem, elas ouvirão uma grande voz do céu. (Ap. 11.11);
• Após a ascensão das duas testemunhas, haverá um grande terremoto, e sete mil homens morrerão (Ap. 11.13).

A SALVAÇÃO NO PERÍODO DA GRANDE TRIBULAÇÃO

NOTA
O periodo da grande tribulação não podemos considerar como um tempo preparado por Deus para salvar, sendo que esse período será para manifestação da ira do Nosso Deus. Nós iremos encontrar a manifestação da misericórdia do Senhor nas vidas das pessoas que resolverem não aceitar a marca da besta e nem adorar sua imagem. É certo que haverá Salvação nesse período, a Bíblia deixa claro que mesmo diante de perseguição e angustia ao qual nunca houve, as Deus com sua misericórdia estenderá sua salvação para aqueles que invocarem seu nome.
Mt 24.21 - porque haverá, então, grande aflição, como nunca houve desde o princípio do mundo até agora, nem tampouco haverá jamais.
Tg 2.13 - Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa sobre o juízo.

Segue os textos das Escrituras: (Joel 2.32; Ap. 6.9-11; 7.9-11; 12.17; 15.2 e 20.4). certamente que as condições espirituais prevalecentes durante este período não serão tão favoráveis quanto hoje (OLIVEIRA, 2001, p. 337). Durante este tempo, Deus dará mais uma oportunidade de salvação a todos aqueles que não foram arrebatados […], mas a salvação será possível […] desde que invoquem ao Senhor (Joel 2.32) (ZIBORDI, 2009, 515). Vejamos os Resultados da Salvação neste período:
a) Haverá purificação pessoal: Passagens como Apocalipse 7.9,14 e 14.4 mostram claramente que o indivíduo salvo é aceito por Deus. Em nenhuma outra base o indivíduo poderia estar “diante do trono de Deus”;
b) Haverá salvação nacional: A preparação de tal nação (Ez 20.37,38; Zc 13.1,8,9) resultará na salvação da nação remanescente de Israel no segundo advento, como prometido em Romanos 11.27. As promessas nacionais podem ser cumpridas porque Deus, pelo Espírito Santo, redimiu um remanescente em Israel ao qual e por meio do qual as alianças podem ser cumpridas;
c) Haverá bênçãos milenares: Apocalipse 7.15-17 e 20.1-6 deixam claro que a salvação oferecida durante esse período encontrará seu cumprimento na terra milenar. Todas as bênçãos e privilégios de serviço, posição e acesso a Deus são vistos no âmbito milenar. É assim que as promessas nacionais serão realizadas mediante a salvação individual na eternidade com Cristo.

A PROCLAMAÇÃO DO EVANGELHO ETERNO

O Evangelho pregado nessa época de angústia, é o mesmo ensinado por Jesus, pois a essência da mensagem diz respeito a obra redentora de Cristo (Lc. 24.45-47; Ap 14.6). Como sabemos, não há “outro evangelho” (Gl 1.8). O Evangelho é o mesmo, mas pode ser apresentado de maneira MULTIFORME. Deve-se observar como sua mensagem é progressiva em suas várias manifestações ao mundo, e em qualquer época. Em todas as formas apresentadas ele é “UM SÓ” (Gl 1.6-9). Em qualquer época pode ser chamado de “pro tõn aiõnõn”, (desde a eternidade). O Evangelho é imutável, pelo que é eterno. Nenhum evangelho está em foco, além do evangelho de Cristo. Este Evangelho é eterno no plano de Deus. Vejamos:

“Evangelho” (Mc 1.15)” - “O Evangelho de seu Filho” (Rm 1.9)
“O Evangelho de Cristo” (Rm 1.16) - “O Evangelho da glória de Cristo” (2Co 4.4)
“O Evangelho de Deus” (Rm 1.1) - “O Evangelho da vossa salvação” (Ef 1.13)
“O Evangelho de Jesus Cristo” (Mc 1.1) - “O Evangelho da paz” (Ef 6.15)
“O Evangelho do Reino” (Mt 4.23) - “O Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo” (2Ts 1.18)
“O Evangelho da graça de Deus” (At 20.24) - “O Evangelho Eterno” (Ap 14.6)”

CONCLUSÃO
Conforme vimos, a Palavra de Deus será amplamente proclamada durante a Grande Tribulação, o Espírito Santo continuará convencendo o homem de seu pecado, os mártires gentios morrerão por sua fidelidade ao Senhor e os 144.000 israelitas também serão seguidores de Cristo, e por fim o Evangelho Eterno será pregado para glória de Deus!

Acesse também:
O GOVERNO DO ANTICRISTO - http://ebdestudosbiblicos.blogspot.com.br/2012/05/licao-10-o-governo-do-anticristo.html

REFERÊNCIAS
• SILVA, Severino Pedro da. Apocalipse, versículo por versículo. CPAD.
• STAMPS, Donald C. Biblia de Estudo Pentecostal. CPAD.
• CHAMPLIN, R.N. O Novo Testamento Interpretado versículo por Versículo. HAGNOS.
•Biblia de estudo em CD Rom Ilúmina Gold
Igreja Evangélica Assembleia de Deus – Recife / PE Superintendência das Escolas Bíblicas Dominicais

Nenhum comentário: